Voltar

Avestruz

Struthio camelus

Reino

Animalia

Filo

Chordata

Classe

Aves

Ordem

Struthioniformes

Família

Struthionidae

Alimentação

Onívoro

Status de conservação

Menos preocupante

DISTRIB. GEOGRÁFICA

África

Localização no zoo

Sobre

O avestruz é a maior ave viva e atinge uma altura de até 2,75 metros nos machos adultos, com peso de até 160kg. Sua cor é branca e preta, enquanto as fêmeas, como ocorre em muitas aves, têm cores mais discretas, em tons de cinza, e seu tamanho é um pouco menor, com no máximo 1,90 metro com peso de até 110 quilos.

Em seu habitat natural, os avestruzes enfrentam as severas condições do deserto do Saara ou das savanas, onde convivem com gnus, hienas, antílopes e leões. Em um ambiente tão difícil e competitivo, precisam ser munidas de boas adaptações ao seu meio, ou não sobreviveriam.

A altura é importante para que possa observar o movimento de filhotes ou a aproximação dos predadores para iniciar uma fuga (alcançam até 70km/h em corridas curtas, ou conseguem manter a velocidade de 50km/h em corridas longas). As asas, apesar de não permitirem o vôo, dão equilíbrio e direção quando em grande velocidade, e podem ser eriçadas para amedrontar um possível inimigo, fazendo com que o avestruz pareça ainda maior do que já é.

A falta de comida na natureza fez do avestruz uma ave pouco exigente com seu cardápio. Tudo pode ser explorado como alimento, contanto que caiba em seu bico e estômago, que aliás é bem grande. Pode viver muitos dias sem água, ou até mesmo ficar completamente sem ela se tiver alimento úmido (como plantas suculentas). Quando se abaixam para comer ou beber, os avestruzes levantam-se constantemente, em intervalos irregulares, a fim de não deixar um possível predador calcular quando tempo ele ficará distraído.

Referência Bibliográfica: Dados da IUCN / Biodiversity4All – disponível: https://www.biodiversity4all.org/taxa/20526-Struthio-camelus. Acesso em 20 de março de 2022. CARR R, C. C.; KüRNFELD, M. E. Aspectos de importância na produção racional de avestruzes (Struthio camelus). Revista de Educação Continuada do CRMV-SP. Continuous Education Journal CRMV-SP. São Paulo, volume 2, fascículo I, p. 46 – 51, 1999.